sábado, 5 de novembro de 2016

Justiça

Esta é a justiça 
numa estátua de Erbo Stenzel:
Sedutora e Oblíqua,
promete e não entrega.
Prostrada, controla.
De lado, procura.
Conhece o furor do estupro.
Enfrenta, protege,
a si ante outros sedentos.
Escrava dos homens brutos.
Exprime o trauma de dentro
nos olhos que tudo atracam,
na tranca de seus redutos,
nos seios estuporados,
na prontidão sem pecados,
na projeção sem futuro.
Esta é a justiça
numa estátua paranaense.

Nenhum comentário: