quarta-feira, 21 de julho de 2010

O Peregrino Apaixonado, The Passionate Pilgrim 13 de Shakespeare

Olá leitores,
Num post antigo apresentei uma tradução de um poema de Shakespeare, do Passionate Pilgrim. Agora refiz, melhorei, a tradução, espero que aproveitem (sempre acham o blog no google por causa desse poema).

13


Beauty is but a vain and doubtful good,

A shining gloss that vadeth suddenly,

A flower that dies when first it ’gins to bud,

A brittle glass that’s broken presently;

__A doubtful good, a gloss, a glass, a flower;

__Lost, vaded, broken, dead within an hour.



And as goods lost are seld or never found,

As vaded gloss no rubbing will refresh,

As flowers dead lie withered on the ground,

As broken glass no cement can redress:

__So beauty blemished once, for ever lost,

__In spite of physic, painting, pain and cost.


13


O Belo, não mais que bem tão vão,

Brilho ofuscado de repente,

Uma flor que se esvai quando inda é botão,

Vidro quebrado no presente;

__Um dúbio bem, um brilho, um vidro, a flora;

__Perda, fusco, caco, morto em uma hora.

E qual perda é vendida, nunca achada,

Qual brilho fusco lustre não refresca,

Qual flor que cai sem vida ao chão murchada,

Qual vidro em caco nem cimento mescla:

__Beleza que manchada, errada sina,

__Embora a arte, dor, custo e medicina.


Nenhum comentário: