quarta-feira, 21 de julho de 2010

O Peregrino Apaixonado, The Passionate Pilgrim 13 de Shakespeare

Olá leitores,
Num post antigo apresentei uma tradução de um poema de Shakespeare, do Passionate Pilgrim. Agora refiz, melhorei, a tradução, espero que aproveitem (sempre acham o blog no google por causa desse poema).

13


Beauty is but a vain and doubtful good,

A shining gloss that vadeth suddenly,

A flower that dies when first it ’gins to bud,

A brittle glass that’s broken presently;

__A doubtful good, a gloss, a glass, a flower;

__Lost, vaded, broken, dead within an hour.



And as goods lost are seld or never found,

As vaded gloss no rubbing will refresh,

As flowers dead lie withered on the ground,

As broken glass no cement can redress:

__So beauty blemished once, for ever lost,

__In spite of physic, painting, pain and cost.


13


O Belo, não mais que bem tão vão,

Brilho ofuscado de repente,

Uma flor que se esvai quando inda é botão,

Vidro quebrado no presente;

__Um dúbio bem, um brilho, um vidro, a flora;

__Perda, fusco, caco, morto em uma hora.

E qual perda é vendida, nunca achada,

Qual brilho fusco lustre não refresca,

Qual flor que cai sem vida ao chão murchada,

Qual vidro em caco nem cimento mescla:

__Beleza que manchada, errada sina,

__Embora a arte, dor, custo e medicina.


segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ao Camarada Valmor, nosso senador!

Coração, bandeira,

Também pé, vermelhos.

Pela vida inteira
Caminhou parelho
Co'a vida primeira,
Enxergou no espelho
Os ricos burgueses
E também os pobres,
E sentiu por estes
Sentimento nobre,
Desespero, às vezes.

Aquele que cobre
De muitos cuidados
Todos os parceiros
Que estão do seu lado,
Caminha certeiro,
Refaz o legado
Destes companheiros:
Leon, Vladimir
Ernesto Guevara,
Rosa, Ho Chi Minh,
Fidel, Victor Jara,
Todos que hão de vir,
A lista não pára.

Do sul mas do norte,
Saiu coerente
Do partido forte,
Agora presente
Num de outro porte,
Muito diferente -
Partido do Sol,
Socialismo vivo,
Liberdade em prol
Do pobre cativo.
Ele entrou no PSOL,
Foi no alternativo.

Tudo que aprendera
Em sua militância,
Luta verdadeira,
Longe da ganância,
Agora prendera-se
Na asa da mudança.

Na luta constante,
Veio do Centro Che,
Sua vinda garante
Um grupo que lê
E que é militante.


Ele entende e crê,

Do fundo do peito,
É veterinário,
E cuida de um jeito
Grande, humanitário,
Com tal sentimento
Revolucionário
Dos bichos, dos homens,
Mulheres, amigos.

Do dinheiro os fortes
São seus inimigos.
Lembra-se dos nomes,
Sabe dos perigos.

Ele é a unidade,
Ao lado de Plínio,
Tem muita vontade,
Político exímio.
A desigualdade,
Sem ser retilínio
Em seu pensamento,
Sabe onde encontrá-la.

Chegou o momento!
Já vamos saudá-la,
Potente fermento,
Gritá-la, Chamá-la,
Jogar pelo vento
Cantá-la, aclamá-la
Unir o cimento,
Lançá-la, incitá-la
Chegou o momento!
Vamos exaltá-la!

A candidatura
Do caro Valmor,
Com muita ternura,
Também com amor,
No PSOL fulgura
Um grande valor.

Valmor Venturini
O meu senador!