terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Transições

Achava que estava
Num vórtice insano
Num vôo sem asa
Num sonho cigano

Mas era tudo mentira
Tudo fumaça entre os dedos
Tremedeira, fome, medo
Era tudo mentira
Era tudo segredo

Foi bom enquanto durou
Boa noite agora, durma bem
Mas nem durou tanto assim
Durou para mim
Tanto faz
Minhas intensões são banais
Como as mesmas de sempre
Como assim?
Tudo bem?
Tudo vai
Nada vem
Amanhã, mês que vem
Mês que vem
Mês que vem

Por quantas São Paulos
Litorais longínquos
Feridas e calos
Cearás infindos mais?

São sonhos banais
São sombras de galhos
Segredos, silêncio
Semanas e semanas
São sonhos de galhos
Sombras banais
Desejos de bacanais
Semanas - frangalhos
São Paulos
Semanas

Nenhum comentário: