segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Espelho D'Água

O poeta me recomendou não escrever sobre o amor
Escrevo em baixo dele então, sob o amor
Aqui por baixo eu vejo claramente:
Ele é só a ponta de um imenso iceberg

Essa colina gigante de gelo submersa
É curioso fenômeno natural
Naufraga grandes navios
Abriga animais ferozes
Derrete no aquecimento global
E se dilui em todo o mar feminino - a água salgada que o carrega

Maria, em suas simpáticas cartas a certo jovem, talvez não saiba
Mas o Yang submerso do iceberg não é o ódio
O ódio não é aquático
O ódio não é salgado
Todo navegante que mergulha como eu sob esse mar geladíssimo
Sabe que o sal que salta dos olhos
É só a ponta
De um imenso iceberg

2 comentários:

Hugo Simões disse...

imensamente imenso...

Anônimo disse...

www.naiad.co.nr