domingo, 2 de agosto de 2009

Nada podemos no além
Nada podemos além de morrer
Vai além da vida a morte
Na vida a morte vai além

O amor além do desdém
O nada que vai além
Ao infinito final da vida
A morte querida
Outro lado do espelho
Foto minha
Essa realidade dolorida
Além da gaiola das minhas costelas
Transcende
Em ecos ouvidos da eternidade

Como embaixo d’água visse
Tua face mirabolante
Num sorriso soluçante
E nos portões de além-mar
Lágrimas em minha cara
Vermelha em mastro
Nos corações de além-amar

Nenhum comentário: