domingo, 24 de maio de 2009

O Nosso Hoje Em Dia

O nosso hoje em dia

É tão externo a mim

Que não entendo espelho

E me sinto um indivíduo


Estou cansado desse egoísmo


As lágrimas são geadas

Que orvalham minha face

Toda manhã, toda existência

E seu peso quebra meus pulmões


E eu não choro nem respiro

Nem espero nem encerro

Nem espirro nem gripe


O nosso hoje em dia

É outro que não sei

É boa noite

E tudo bem?

Tudo mal

Como a fruta comida verde

O prédio que moramos

Sem pintura

A rua vazia


São outras pedras no meio dos caminhos

Pedras de crack

São outros céus que divisam dia e noite

Céus vermelhos


O nosso hoje

Mantém-se dia

Em nós somos noite

Que precisa ser orvalhada

Mas só a manhã poderá ter um sol

Vermelho


O nosso hoje em dia é apenas mais um dia

Mas o nosso amanhã...

Nenhum comentário: