quarta-feira, 18 de junho de 2008

Perspectiva

P
A solidão solitária
É como o silêncio:
Confortável, reflexivo
É como um deserto de gelo:
Maravilhoso e terrível

Ah! A solidão por trás dos olhos...

Mas não passo por isso
Cercam-me de olhares
Favores e palavras
Isso, não quero!

O amor solitário
É como gota no céu
Etérea, morta-viva
É como uma facada
Quente e fria

Ah! O amor comunal...

Mas não passo por isso
Cercam-me de afeto
Abraços e risadas
Isso, não quero!

O amor que desejo
É mais como um beijo
E a minha independência
A minha reflexão
Depende da solidão
Como serei eu mesmo
Se me confundem
Com o projeto de vosso desejo?
Com expectativas alheias de mim?
Com uma liberdade que não existe?

Resta esperar
Porém sinto
Também
O
Peso
Dos
D
I
A
S

Nenhum comentário: