sexta-feira, 13 de junho de 2008

Lacrime Mundae

'
Desvelaste a mim
Como uma puta barata
Num lugar distante de tudo
A me espreitares

Não foste nada enfim
Apenas pairavas no escuro
Olhavas-me indiretamente
E não me querias


Mais clara que a noite
Houveste trazido esperança
Agora trouxeste um final
Quebrando-me


Eu esperava que esse dia fosse
A redenção da raça humana
Mas foste apenas a noite comum
Da aniquilação mundana


E nem quiseste velar
A verdade inaudita
Como uma bela música
Que é uma canção maldita


Acabou-se o mágico no mundo
Choram as pedras que queimam
Chora a mandrágora
Chora o dragão


Orion é só uma constelação


Milhões de anos-luz


É só espaço longínquo


Um astronauta que caiu


É hora de também eu


Na dureza


Do real

Nenhum comentário: